AJPII participa de Workshop sobre apadrinhamento afetivo

       No dia 20 de março, o Instituto Pobres Servos da Divina Providência - Abrigo João Paulo II juntamente com a Obra Social Imaculado Coração de Maria participaram do Workshop que foi promovido pela Coordenadoria da Infância e Juventude do Rio Grande do Sul. O evento foi realizado no Mini Auditório do Foro II, em Porto Alegre. 

      O Workshop  teve como objetivo sensibilizar os servidores e magistrados do Tribunal de Justiça do Rio Grande do Sul, motivando-os a refletir sobre o apadrinhamento de crianças e adolescentes que estão em situação de acolhimento e, com isto aumentar as possibilidades de inserção destes acolhidos com a comunidade  visando a construção de vínculos afetivos.

      DR.ª Nara Cristina Neumann Cano Saraiva, Juíza-Corregedora e Coordenadora da Infância e Juventude do tribunal de Justiça do RS, proferiu a abertura do Workshop a gradecendo a presença dos servidores que se fizeram presentes e relatou que faz o acompanhamento do acolhimento no município de Porto Alegre e que dos aproximados mil acolhidos somente cerca de trezentos estão aptos para adoção, também fez menção ao trabalho realizado pelo Comitê das crianças e adolescentes acolhidos, que realizam reuniões mensais, com o propósito de conversar sobre a realidade do acolhimento e sugerir alternativas para melhorias. Este grupo é composto por adolescentes de diversas instituições. Drª. Nara comentou "no diálogo que temos com os jovens nas reuniões do comitê verificamos que as falas fazem referências de afeto e vinculação às equipes técnicas, pais sociais e aos padrinhos".

       Camila Monteiro, Assistente Social, vice-diretora e coordenadora das casas-lares, apresentou como é desenvolvido o Programa de Apadrinhamento Afetivo no Abrigo João Paulo II e Taína Corrêa, Psicóloga e Coordenadora do Abrigo Residencial 06, falou sobre a forma o Apadrinhamento realizado na Obra Social Imaculado Coração de Maria - OSICOM.

    As palestrantes, com suas expertises, promoveram reflexões acerca do projeto de apadrinhamento afetivo e comentaram sobre a realidade das crianças/adolescentes em acolhimento, e também dirimiram alguns questionamentos, tais como: O papel dos padrinhos/madrinhas afetivos; Os benefícios do apadrinhamento afetivo para o desenvolvimento de crianças e adolescentes acolhidos; Orientações para tornar-se padrinho/madrinha; Aspectos psicossociais do apadrinhamento afetivo, dentre outros.

        Estiveram presentes Dr. Valtércio Ronaldo de Oliveira, desembargador do Tribunal do Trabalho da 5ª Região (Bahia) eMinistro do Conselho Nacional de Justiça, a desembargadora Drª. Denise Oliveira Cézar, corregedora-geral da Justiça, Dr. Leoberto Brancher, do Juizado Regional da Infância e Juventude e CEJUSC (Centro Judiciário de soluções de conflitos e cidadania),de Caxias do Sul.

       O Abrigo João Paulo II agradece a Drª. Nara Saraiva e sua equipe pela organização e oportunidade de participar deste momento de diálogo, exposição do trabalho e incentivo ao programa de Apadrinhamento afetivo, visto que por meio desse workshop foi possível proporcionar outros olhares para esta realidade do acolhimento de crianças e adolescentes.