Inauguração do Residencial Inclusivo São João Calábria

       No dia 26 de abril, foi inaugurado o primeiro Residencial Inclusivo do município de Porto Alegre para jovens acima dos 18 anos de idade. O serviço será executado pelo  Instituto Pobres Servos da Divina Providência - Abrigo João Paulo II,  por meio de parceria com Fundação de Assistência Social e Cidadania (Fasc). O evento foi realizado no Bairro Restinga, em Porto Alegre.
 
         O Residencial Inclusivo São João Calábria terá a capacidade de atendimento de até dez jovens e adultos com deficiência, advindos do Acolhimento Institucional do município de Porto Alegre e  que não tenham condições de promover seu próprio sustento ou não contam com retaguarda familiar. Eles irão residir neste local, que terá funcionamento 24 horas por dia e contará com educadores, assistentes sociais, psicólogos, terapeuta ocupacional e coordenação técnica.
             
              O evento contou com a presença de um grupo de crianças e adolescentes que fazem aulas de percussão no Centro de Pormoção da Infância e Juventude, localizado no Bairro Restinga, e também pertence a obra dos Pobres Servos da Divina Providência no município de Porto Alegre.
 
            O prefeito Nelson Marchezan Júnior destacou que esta é mais que uma realização. É um caminho para ajudar quem mais precisa. "Prioridades não podem ser só discursos, precisam ser decisão e estratégia de gestão. Temos que construir um agora melhor e não apenas pensar em um futuro", afirma.
Até então, os jovens acolhidos nos abrigos de crianças e adolescentes, quando completavam 18  anos e não possuíam amparo familiar, não contavam com um serviço de acolhimento especifico para suas necessidades. Agora, eles terão atendimento especializado para pessoas adultas com deficiência. "Temos todo um trabalho de proteção da infância e adolescência e ainda não tínhamos um local para abrigar os jovens adultos. Nosso objetivo não é que seja uma casa definitiva, mas que eles tenham condições de progredir e ter uma possibilidade de futuro com mais autonomia", explica a presidente da Fasc, Vera Ponzio.
Joel Vargas/PMPA
 
 
               Este espaço tem como finalidade proporcionar aos jovens acolhidos a conquista progressiva da autonomia no desenvolvimento de atividades da vida diária, a participação social e comunitária e o fortalecimento dos vínculos familiares, com foco na reintegração e/ou convivência. A promotora de Justiça da Infância e Juventude de Porto Alegre, Cinara Vianna Dutra Braga, lembrou que os adultos têm necessidades e demandas diferentes das crianças e, por isso, precisam de um local apropriado para recebê-los. "Eles terão condições, mais tarde, de sair daqui com uma vida autônoma e com qualidade de vida", ressalta.
 
                A equipe especializada que vai atuar na residência adaptada trabalhará com metodologia adequada para prestar atendimento personalizado e qualificado, dando atenção às necessidades individuais e coletivas dos beneficiários. Os profissionais são ligados ao Instituto Pobres Servos da Divina Providência - Abrigo João Paulo II. O diretor do instituto, padre Claudio Antônio Bianchet, lembra que a missão é proporcionar "o melhor atendimento e dar qualidade de vida a esses jovens". O vereador Reginaldo Pujol, vice-presidente da Câmara Municipal, afirma que "fazer uma cidade mais humana e mais inclusiva não é tarefa fácil, mas a prefeitura está no rumo certo para alcançar este objetivo".
 
           Também participaram do evento o vice-presidente da Fasc Joel Lovatto e os diretores Ronaldo da Costa e Vanessa Mendes Baldini, o diretor de acessibilidade e inclusão social da Secretaria Municipal de Desenvolvimento Social e Esporte (SMDSE) Jorge Brasil e o diretor dos direitos humanos Dari Moreira, a presidente da Fundação de Proteção Especial do Estado Maria do Carmo Furquim, representante do Abrigo Bom Jesus Dalva Ramos, coordenadora do Residencial São João Calabria Juliana Duarte Gonçalves, presidente da Ong Renascer Rozeli da Silva, presidente da creche Renovar da Esperança Pedro Sérgio, gestor do Crip extremo-sul Máximo Alfonso, presidente da Associação Amigos da Restinga  Andre Seixas, conselheiras regionais de Assistência Social Jaqueline Antonio e Claudia da Cruz, presidente da Associação de Moradores da Chácara do Banco Almerinda Rosa de Lima, coordenadora do centro de Referência da Mulher da Restinga Nelsi Andrade, representante do Complexo Esportivo do Barro Vermelho  José Ventura, coorenadora do Caps AD Restinga Maria Guanecir, presidente do Conselho dos Direitos Humanos da criança e adolescente Roberta Gomes Motta, padre Paulo Dala Rosa da paróquia Nossa Senhora Aparecida, Vice-direitor do Centro de Educação Profissional São João Calabria Edson Zanella e a  Irmã Maria Zélia Benvegnu, diretora-presidente da OSICOM- Obra Social Imaculado Coração de Maria.
 
 
 
Critérios para ingresso no residencial
- Ter mais de 18 anos e ser pessoa com deficiência - prioritariamente, se for atendido pelo Benefício de Prestação Continuada (BPC).
- Não ter retaguarda familiar momentânea ou permanente. 
- Ser residente ou domiciliado no município de Porto Alegre.
 
Forma de acesso:  A avaliação é feita pelo Núcleo de Acolhimento da Proteção Social Especial - Fasc
Ambientes: A residência possui quatro quartos, quatro banheiros, refeitório integrado com a cozinha, sala de estar, sala de atendimento da equipe técnica e ampla área aberta. 
 
Fonte: Site da Prefeitura de Porto Alegre