AJPII inicia projeto de proteção às mulheres vítimas de violência doméstica

          No dia 21 de março, o Instituto Pobres Servos da Divina Providência - Abrigo João Paulo II - deu início a um novo trabalho de acolhimento e proteção às mulheres em situação de violência doméstica e de risco de morte iminente, no município de Viamão.

         Neste primeiro dia,  foi realizada uma reunião técnica com a equipe do Centro de Referência de Atendimento à Mulher (CRM), com a Delegacia Especializada no Atendimento à Mulher (Deam) da Polícia Civil e com a equipe técnica e colaboradores do Abrigo João Paulo II tendo por  objetivo  planejar e alinhar a forma de trabalho que será realizado em conjunto. 
 
         Srª.Karen Preuss, coordenadora do Centro de Referência de Atendimento a Mulher (CRM), juntamente com sua equipe técnica deu início à reunião  salientando  a importância do trabalho e enfatizando algumas orientações que deverão permear todo o trabalho desde o início, como o acolhimento das beneficiárias deste projeto e as relações de diálogo constantes entre todas as equipes de trabalho. Ela também relatou algumas experiências que teve com a compra de vagas em outros municípios e afirmou: "Este é o primeiro trabalho a ser realizado no município de Viamão, por isso se faz necessário o conhecimento que adquirimos com os outros espaços de acolhimento,  os pontos positivos e negativos para construirmos o nosso jeito próprio de atendermos às mulheres com a qualidade que elas merecem."
 
           O CRM é um lugar de apoio, de orientação e de encaminhamento para a construção de uma nova perspectiva de vida, com autonomia,  à mulher que sofre violência. "Mudar uma realidade não é fácil. Em primeiro lugar, ela tem que querer acabar com o ciclo de violência e se ver protagonista da sua própria história." enfatizou Karen 
 
           Drª. Jeiselaure de Souza, delegada da Polícia Civil de Viamão, relatou os índices de feminicídio do Brasil e comentou que "a operação realizada no dia 20 de março visou o enfrentamento à violência contra a mulher, com buscas e cumprimento de medidas protetivas a fim de que ser mantido o índice zero de feminicídio alcançado em 2018 e até esta data, em 2019." Ela também mencionou a importância de divulgar os canais de acesso à denúncia para que as mulheres sejam protegidas. Elogiou a Casa Girassol, por sua estrutura e organização que possibilita um espaço de acolhida muito bom para estas mulheres tão fragilizadas.
 
 
            Sr. Leandro Aguirre, secretário da Secretaria da Cidadania e Assistência Social de Viamão, após breve apresentação agradeceu ao Abrigo João Paulo II por ter aceito o desafio de realizar este projeto novo no município, tendo em vista o trabalho de qualidade que já realiza há anos com o acolhimento de crianças e adolescentes nas seis casas-lares e um abrigo residencial, no município. Ele também mencionou as linhas de trabalho que pretende executar e as dificuldades que vem enfrentando com a falta de recursos para a manutenção destes projetos da assistência. Reforçou que a assistência não consegue realizar todo o atendimento necessário e que, precisa muito, contar com o apoio das OSCS que já tem uma vocação e expertise para a execução desses vários trabalhos. 
 
             Pe. Cláudio Bianchet, diretor do Abrigo João Paulo II, agradeceu a parceria e a confiança neste trabalho que será desafiador para a instituição. Afirmou que pretende continuar com a seriedade e a dedicação assim como é realizado o trabalho com as crianças e os adolescentes há 38 anos, na região metropolitana. E ressaltou: "Como instituição, estamos abertos para aprendermos e construirmos juntos esse trabalho de proteção tão necessário e importante para a sociedade". Enfatizou que toda a parceria realizada entre a instituição e a prefeitura tem que ser cumprida, tanto na prestação de serviço, quanto na efetivação dos recursos financeiros para manter esse projeto. 
 
            Pe. Cláudio ressaltou " Assumimos esse trabalho que é de extrema necessidade, pois como vemos todos os dias notícias de feminicídio é uma mazela mundial."  E como dizia São João Calábria, nosso fundador, "devemos estar abertos às novas necessidades de pobreza da sociedade". Percebemos que esta é uma das necessidades latentes dos dias atuais, "um chamado a sermos como um farol na noite escura da vida dessas mulheres que estão tão fragilizadas e que necessitam de um apoio nesse período de tempestade que estão passando em suas vidas".
 
            Em reunião, o Conselho Operacional do Abrigo João Paulo II elegeu o nome desta atividade como Casa Girassol, tendo como fundamento a flor girassol que se volta e acompanha a luz do sol,  onde desabrocha toda a sua beleza e crescimento. Por isso, acreditamos  que devemos estar voltados para a luz que vem de Deus  e,  esta, poderá orientar e resgatar a dignidade dessas mulheres para continuarem a sua vida e missão junto de seus filhos.
 
              O Abrigo João Paulo II agradece a confiança e a parceria com a prefeitura de Viamão e aos órgãos públicos envolvidos neste projeto, pois juntos podemos realizar excelentes trabalhos para as pessoas que mais necessitam. Que Deus pai providente nos conduza com suas mãos para enfrentarmos os desafios desse novo projeto.
 
           Saiba como denunciar  - em Viamão:
 
 - Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher (Deam) - Rua Coronel Mário Antunes da Veiga, 7, Centro. Telefone: 3435.9150.  Também é possível ligar gratuitamente para o número 180, de qualquer lugar do Brasil, ou chamar a Brigada Militar pelo 190, em caso de flagrante;
 
 - Centro de Referência de Atendimento à Mulher (CRM)  - Rua Mário Antunes da Veiga, 135, Centro -  telefone: 3446.6301;
 
 - Disque-Denúncia 181 - recebe informações sobre violência contra a mulher 24 horas por dia para alimentar os órgãos de investigação;
 
 - Emergências - disque 190, da Brigada Militar.