ADOÇÃO: E Quando Não Certo?

            No dia 09 de novembro, Camila Monteiro, vice-diretora e coordenadora das casas-lares do Abrigo João Paulo II, relatou as experiências da instituição com a temática "ADOÇÃO: E Quando Não dá Certo?", II Simpósio Práticas na Adoção promovido pelo ELO - Grupo de apoio à adoção, no Auditório Osvaldo Stefanello, no Tribunal de Justiça do RS em Porto Alegre.
            Este foi o dia em que comemora-se o Dia Mundial da Adoção, o simpósio aconteceu através da parceria da Elo, Clinica Horizontes e com o apoio da Coordenadoria da Infância e Juventude do Rio Grande do Sul. Teve como os especialistas: Dra. Nara Cristina Neumann Cano Saraiva - Juíza Corregedora da Infância e Juventude do RS; Peterson Rodrigues dos Santos - Presidente da Elo - Organização de Apoio a Adoção e Renata Viola Vives - Diretora da Clínica Horizontes, na mesa de abertura.
 
            O tema: "A família de Origem" foi aprofundado por Drª. Veleda Maria Dobke, é Procuradora de Justiça do MPRS, Especialista em Processo Penal pela FESMP; por  Drª. Lirene Finkler, Pós-Doutora em Educação pela Unilasalle (2017), Doutora (2011) e Mestre (2003) em Psicologia pela UFRGS ? Universidade Federal do Rio Grande do Sul; e por Dr. Mário Rheingantz, Defensor Público, professor de Direito nas escolas CEDAC e Escola Superior da Defensoria Pública
 
             A temática: "A Família Provisória: O Acolhimento Familiar e Institucional" foi a profundado pelo Dr. Luis Carlos Rosa possui Graduação em Direito pela Universidade de Passo Fundo (1994). Pós-graduação em Direito Processual Civil pelo IESA no ano de 2002. Mestrado em Direito pela Universidade Regional Integrada do Alto Uruguai e das Missões (2010); por Drª. Débora Dalbosco Dell?aglio possui Graduação em Psicologia pela Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (1983); mestrado e doutorado em Psicologia do Desenvolvimento pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (2000). 
         Teresinha Aparecida Custódio da Silva, deu seu depoimento, pois tem ampla experiência na área social,tendo atuado em creches, escolas e Albergue Municipal. Formada em Serviço Social, atualmente é Cuidadora Residente em casa lar da REDIPASC em Canoas/RS. Deu o seu depoimento compartilhando conosco o dia-a-dia com crianças e adolescentes em situação de acolhimento institucional. 
 
 
                 OS PROTAGONISTAS
         Depoimentos de Pedro Fernando Batista Cenci,  filho por adoção desde que tinha 6 anos, hoje  tem 18 anos e é estudante de Direito nas Faculdades Integradas São Judas Tadeu, Menor Aprendiz em uma empresa multinacional e presidente do CLJ (grupo de jovens) da paróquia São Sebastião; Silvia Letícia Dias de Souza, filha por adoção desde que tinha 13 anos, hoje  tem 25 anos e é professora de educação infantil e fundamental, atualmente trabalha na escola de educação infantil espaço girassol/ Cidade de Canoas. Cursa Licenciatura em Matemática no IFRS Canoas;  Simone Uriarrt é Designer Visual apaixonada por fotografia e vídeo. É filha por adoção e fundou o Projeto Adoção Tardia no último ano do curso de Design Visual da UFRGS para sensibilizar pretendentes à adoção sobre os benefícios afetivos da filiação adotiva, especialmente de crianças com mais de dois anos de idade. Nos últimos três anos tem aprendido muito com os acertos e erros ao tentar disseminar uma cultura de adoção sem preconceitos. Atualmente a Simone é designer na NoOne, uma consultoria de inovação através do design e é integrante do Global Shapers, rede vinculada ao Fórum Econômico Mundial.
 
           O Tema: "ADOÇÃO: E Quando Não dá Certo?" foi debatido por Camila Monteiro, vice-diretora e coordenadora das casas-lares do Abrigo João Paulo II, Assistente Social, Especialista em Direito da Criança e do Adolescente-FMP, aprofundou a temática sobre "a volta de crianças e adolescentes às instituições após a devolução".
            Renata Viola Vives é Psicóloga , formada pela PUC-RS em 1995, psicanalista pelo Centro de Estudos Psicanalíticos de Porto Alegre, psicóloga escolar com atuação há 23 anos, psicanalista pela Sociedade Brasileira de Psicanálise de Porto Alegre. Coordena grupos de estudo sobre adoção , parentalidade e reprodução assistida. Compartilhou sua experiência no trabalho com famílias e adoções frustradas.
           Lizianne Batista Cenci é graduada em Psicologia, Mestre em Educação e especialista em Psicologia Jurídica. Possui experiência em psicologia clínica, escolar e jurídica, principalmente na área de adoção e apadrinhamento afetivo, além de ministrar palestras sobre esses temas e orientar famílias de adotantes individualmente e através de grupo de apoio à adoção. É mãe por adoção e atualmente integra a equipe da Elo como psicóloga voluntária e coordena Curso de Preparação para Adoção realizados pela Elo em parceria com Judiciário em diversas comarcas do RS, bem como coordena o Grupo de Apoio a Adoção de Alvorada e o Apadrinhar no mesmo município. Relatou sobre "A importância do pré e pós adoção para evitar casos de adoções frustradas e o papel dos grupos de apoio nesse momento e apresentar o Projeto pós Adoção desenvolvido pela Elo e parceiros."
 
Fonte: site Elo
 
View the embedded image gallery online at:
https://abrigojoaopauloii.org.br/660-adocao2#sigProIdc29dd0e3ae