AJPII participa do lançamento de cartilha do Juizado

      No dia 25 de maio, o Poder Judiciário promoveu o "Encontro de Educação Permanente em Acolhimento Institucional", no Dia Nacional da Adoção, com as instituições ligadas ao acolhimento, no auditório Desembargador Osvaldo Stefanello, no Palácio da Justiça, em Porto Alegre.

       A Corregedora-Geral da Justiça, Desembargadora Denise Oliveira Cezar, fez a abertura do evento. Ao saudar os participantes, salientou: "Mais do que um direito de cunho jurídico, é um direito natural que toda criança tem de se desenvolver em uma família. Além de questões materiais, ela precisa de carinho, educação, estímulos, acolhimento e amor. É uma tarefa do Estado propor, fiscalizar e orientar famílias substitutas que suprirão essas necessidades. Enquanto essas crianças não encontram uma família, são os senhores, técnicos que convivem com essas crianças e adolescentes, que dão amor e carinho, um envolvimento sublime."

          Ir. Lauri Carlesso, diretor do Abrigo João Paulo II, juntamente com  alguns representantes de outras instituições do acolhimento em Porto Alegre,  prestou homenagem ao Juiz de Direito Marcelo Mairon Rodrigues, em referência ao empenho e dedicação do magistrado nos dois anos em que ficou a frente do Juizado. Ele está se despedindo do 2º Juizado da Infância e Juventude de Porto Alegre e passará a atuar na Vara da Fazenda.

           Dr. Marcelo agradeceu as homenagens, assim como a presença da Corregedora-Geral da Justiça, e frisou que a matéria da Infância e Juventude é uma das prioridades do Poder Judiciário. "Estamos sempre tentando o equilíbrio, entre preservar os vínculos com a família de origem dessas crianças e perceber a necessidade de acolhimento, para que não se prolongue, ao ponto dessas crianças crescerem e passarem seus primeiros anos numa instituição. Temos que buscar qualificação permanente. Esse é o nosso maior desafio a ser enfrentado", ressaltou.

           Durante o evento foi lançada a Cartilha de Orientação, elaborada  pelo Núcleo da Infância e Juventude da CAPM com a parceria das instituições de acolhimento, dentre elas, o Abrigo João Paulo II que foi representado por Camila Monteiro, vice-diretora e coordenadora técnica das casas-lares. O trabalho trata da sistematização do atendimento, desde o acompanhamento do acolhimento até o processo de preparação para adoção.

          A programação do evento incluiu a apresentação da proposta de educação permanente, a apresentação da nova configuração do Grupo de Referência do Atendimento Institucional e do Grupo de Prioritária Vulnerabilidade. Os técnicos também debateram sobre o Plano Individual de Atendimento e o Processo de Preparação para Adoção.

        Estavam presentes na mesa de abertura o Juiz-Corregedor Alan Tadeu Soares Delabary Junior, Coordenador da Infância e Juventude; o Juiz de Direito Amadeo Henrique Ramella Buttelli, Diretor do Foro Central de Porto Alegre; o Presidente da Fundação de Proteção Especial do Rio Grande do Sul (FPE), José Luis Barbosa Gonçalves; a Diretora Técnica da Fundação de Assistência Social e Cidadania (FASC), Vera Ponzio, e a Coordenadora dos Conselhos Tutelares de Porto Alegre, Ana Maria Rangel. 

            O Abrigo João Paulo II tem como objetivo a busca do aperfeiçoamento e participar de ações conjuntas visando o estudo e implementação de novas formas de desenvolver o serviço de acolhimento instituicional

Fonte: www.tjrs.jus.br