A relação de Padre Calábria com as pessoas

          Nos dias 13 e 14 de julho, ocorreram os encontros de formação continuada para os colaboradores do Abrigo João Paulo II, como tema ?A relação de Padre Calábria com as pessoas?, que foi conduzido por Pe. Miguel Tofful, Superior Geral dos Pobres Servos da Divina Providência, na sede administrativa da instituição. Também esteve presente no encontro Pe. Gilberto Bertolini, Superior dos Pobres Servos da Divina Providência no Brasil.
        Ir. Lauri Carlesso, diretor do Abrigo, fez a abertura do encontro e como inspiração realizou a leitura de duas frases de São João Calábria ? Pais cristãos procurem viver a altura da vossa vocação! Vocês colaboram com Deus na grande obra da criação?, e também  ?É preciso amar os pobres, na pessoa deles Cristo continua vivendo entre nós?, após a oração inicial conduziu a palavra ao Pe. Miguel.
 
           Pe. Miguel mencionou ?estou muito feliz  em reencontrar os colaboradores e as pessoas envolvidas no trabalho do Abrigo, pois faz dois anos que estive aqui, e mesmo que eu acompanhe o trabalho do Abrigo pelas informações da congregação e pelas mídias sociais, estar junto é sempre muito bom!?, também referenciou ? Pe. Calábria criou esta Obra há cento e dez anos atrás e hoje quem leva adiante esse trabalho são vocês e o acolhimento foi o fundamento da Obra?
 
            Durante o encontro Pe. Miguel trouxe dois fatos importantes que ocorreram na vida de Calábria e que incentiva a termos presente em nossa memória, sendo o primeiro quando Pe. Calábria ainda estava estudando para ser religioso e ao retornar para sua casa encontrou um menino dormindo na porta de sua casa, com frio, fome e com muito medo de apanhar, pois não havia ganhado dinheiro necessário para retornar ao seu lar. As atitudes de Calábria frente a esta situação foram a ele escutou o menino, acolheu com carinho, deu alimento e proporcionou um lugar seguro para dormir. 
 
          O segundo fato é que quando Calábria saia de sua casa para ir até o seminário passava por uma ponte e nesse local havia um homem idoso que sempre pedia esmolas. A atitude de Pe. Calábria era a de conversar, dava atenção a esse senhor e lhe dava uma moeda. Um dia esse senhor ficou muito doente e no hospital implorava para que encontrassem o amigo padre para lhe fazer uma visita, após muitas tentativas descobriram que o padre era Calábria. O homem desejava despedir-se do amigo, pois após a visita o homem faleceu.
 
         Pe. Miguel enfatiza ?o que tem de extraordinário nesses dois fatos? O que Calábria nos ensina? Que devemos tratar as crianças ou os adultos de forma humana independente de sua condição financeira. O trabalho que vocês fazem não é só uma trabalho é uma missão, pois através de vocês é que Deus está fazendo o seu trabalho. Temos que dar aquela atenção especial. Se tem uma criança ou jovem que incomoda mais temos que ver nela a presença de Jesus? e reforça ? A presença da Obra Calabriana não tem que ser ter somente uma sensibilização ou um trabalho com os mais pobres, mas tem que ser um sinal, quase como um farol de luz, um exemplo de evangelho vivo?.
 
          Ao final do primeiro dia Pe. Miguel e Pe. Gilberto, concluíram o encontro com a celebração da santa missa. O Abrigo João Paulo II agradece Pe. Miguel pelos momentos de reflexão e aprendizagem, por  seu testemunho de vida e missão e o encorajamento de continuar a Obra calabriana confiantes na providência de Deus. Desejamos muita sabedoria e saúde em sua missão.